14 e 15/9 SÃO PAULO

A resposta da boa política aos desafios e transformações do mundo, por José Aníbal

Nos últimos anos, o Brasil enfrentou algumas das mais difíceis crises de sua história. Atravessamos quase três anos de uma recessão que, finalmente, parece ter ficado para trás, ainda que persistam questões estruturais para um estado com efetivo equilíbrio fiscal, sem artifícios como os vistos no passado recente. O sistema político carece de uma reorganização … Continua

Convicção e esperança, por Fernando Henrique Cardoso

Diante do desmazelo dos partidos, da descrença e dos fatos negativos (não só a corrupção, mas o desemprego, as desigualdades e a falta de crença no rumo) é preciso responder com convicções, direção segura e reconstrução dos caminhos para o futuro. Isso não significa desconhecer que existam conflitos, inclusive os de classe, nem propor que … Continua

Portadores do novo, por Cristovam Buarque

A política brasileira sofre de apego ao passado. Até mesmo as forças progressistas deixaram de ser portadoras do novo. Mas nunca foi tão urgente imaginar o futuro desejado e como construí-lo. O novo está mais no dinamismo decorrente da coesão social, do que na disputa de interesses de grupos, corporações e classes: empresários precisam entender … Continua

Sobre virtudes e adversidades, por José Aníbal

Um dos princípios elementares da política – na verdade, da vida como um todo – é que as virtudes se sobressaem diante das adversidades. Quanto maiores os obstáculos, mais a inteligência, a perspectiva e a consequência das escolhas se fazem necessárias. Responsabilidade e racionalidade diante de uma crise complexa como a que o Brasil vive … Continua

A transição e o futuro, por Roberto Freire

Em uma quadra conturbada da vida nacional, em que o país dá os primeiros passos para a superação da pior recessão econômica de sua história enquanto enfrenta uma profunda crise política cujos desdobramentos são a cada dia mais imprevisíveis, é fundamental que não nos afastemos do nosso compromisso intransigente com os interesses do Brasil e … Continua

Representação, crise e mal-estar institucional, por Marco Aurélio Nogueira

Tomando como ponto de partida a constatação de que as democracias contemporâneas não podem funcionar sem parlamentos ativos, o artigo procura dialogar com a recorrente imagem de uma “crise de representação” no Estado contemporâneo, ou seja, com as dificuldades que esse instituto tem manifestado para se atualizar e permanecer cumprindo funções estratégicas nas complexas sociedades … Continua

The Political Cost of Corruption: Scandals, Campaign Finance, and Reelection in the Brazilian Chamber of Deputies, por Ivan Chaves Jucá, Marcus André Melo e Lucio Rennó

While corruption is widely disapproved of, some corrupt politicians continue to win elections. We tackle this paradox by examining the effects of malfeasance scandals in politicians’ behavior. In particular, we focus on their campaign finance strategies and career choices. We explore these issues empirically with an original dataset that includes all lower-house members of Congress … Continua

Modern individualisms and Christian schism: why what we miss is importante, por Mauro Magatti e Monica Martinelli

The history of Western modernity can be briefly outlined as a history characterized by the progressive emerging of individual freedom. The consequent dynamism in cultural and socio-economic terms defines modernity as an age of great institutional change. Forms and rhythms of this change take different shapes according to the different worlds of the Christian Europe. … Continua

Corrupção e democracia: os efeitos de uma sobre a outra, por José Álvaro Moisés

A corrupção política é um dos problemas mais severos e complexos enfrentados por novas e velhas democracias. No fundamental, ela envolve o abuso do poder público para qualquer tipo de benefício privado, inclusive vantagens para partidos de governo em detrimento da sua oposição. Ela frauda, portanto, o princípio de igualdade política inerente à democracia, pois … Continua

Rethinkg the public wealth of nations, por Stefan Fölster

Most governments know a lot about their debt but little about their assets. In the wake of the 2008 financial crisis, as governments mobilized to manage their public debt, they largely ignored their public assets. Some countries, such as the Baltic states and Portugal, took steps to appraise their wealth, but most did not. The … Continua